O que me faz mover.



Eu sou movido por ódio, por raiva, por indignação. Movido pela vontade de falar o que ainda não posso, movido por um ideal maior que minha ínfima existência. O ódio, o rancor, a raiva e o medo me alimentam e eu os alimento como meus filhos, como sendo um pedaço de minha própria carne. A raiva por não fazer algo, o ódio por não ser maior e gritar mais e mais alto. A indignação por ser fraco, pequeno e incapaz de derramar sangue. É fácil plantar flores quando se estar bem, é fácil ser delicado quando se tem as contas pagas. É muito fácil não comer carne, e viver de frutas e soja quando se tem dinheiro para isso. É fácil se indignar quando se tem motivo. É fácil se indignar quando é com você e não com o outro. Alguma vez a porra desse outro importou? De verdade? Pra mim não passa de discurso, de palavras, por que no fundo o que importa mesmo sou eu e você. Sabemos bem disso, não é meu amor?

Não sei mas o que pensar. Não sou doce, nem delicado, nem fofo e colorido. Sou amargo, grosseiro e absolutamente escuro, e não por que quis, mas por que o mundo me fez assim,. Mas dentro desse peito, desse corpo existe algo maior, existe uma vontade, existe uma força que não será destruída por nenhum tolo, pois é isso que realmente importa, por mais que me venda é isso que ainda importa e eu gritarei um dia. Um dia chorarei tudo que engoli calado. Um dia serei grande. E mesmo que tenha que morrer para isso eu viverei em alguém, eu viverei em você... Sempre.

Um comentário:

Iury Braga disse...

tah queridaaaaa! Eu acredito em você amigo! Vou te contar um segredo talvez nunca tenha lhe contado, eu lhe admiro desde o dia em que subi as escadas do ballet goretti quintela e te vi de cabelos encaracolados e negros. Amo a sua alma contemporânea e o seu jeito "não to nem ai" mais na verdade você está aí sim. Amar-te-ei amigo e serás sempre admirado e lembrado em minhas orações. Abraço enorme.

Pesquisar este blog